&

Saint-Félicien

& Saint-Félicien e baguete com sementes de sésamo

Saint-Félicien

Este queijo de massa mole e crosta bolorenta é semelhante ao Saint-Marcellin em termos de método de fabricação e de maturação, mas é maior, mais macio e mais cremoso. Inicialmente originário de Ardèche e fabricado com leite de cabra, é hoje em dia fabricado com leite de vaca cru ou pasteurizado e no momento da sua comercialização tem pelo menos entre 10 e 12 dias de maturação desde a coalhagem. É produzido principalmente em Rhône e em Isère. A receita atual foi inventada por um leiteiro de Lyon no início do século XX e o seu nome foi inspirado na praça de Saint Félicien onde se situava a sua loja.

A crosta fina natural tem uma cor pérola a amarela e um aspecto ligeiramente enrugado. A massa, dependendo da maturação, vai de macia a fluida. O aroma lácteo está muito presente. O método de produção que utiliza um coalho suave proporciona ao Saint-Félicien um sabor fresco ligeiramente salgado e ácido, ideal para se revelar na boca no início da degustação de uma tábua de queijos, graças ao seu aroma discreto de “avelãs”. Uma maturação mais longa faz com que a massa tenha uma textura cremosa e um sabor mais forte com aromas de estábulo até adquirir uma massa macia e uma verdadeira tipicidade persistente na boca por volta do 28° dia.

 

Baguete com sementes de sésamo

Debaixo da crosta dourada e estaladiça esconde-se um miolo mole e leve com um sabor suave que é realçado pela torrefação das sementes de sésamo e, por vezes, do gérmen de trigo, que proporciona deliciosas notas de avelã.

 

Acordo sensorial: uma combinação delicada

Emblemático do pão à francesa, a baguete acompanha particularmente bem todos os queijos de massa mole e crosta bolorenta. O lado estaladiço oferece um belo contraste de texturas com a massa cremosa do Saint-Félicien. A suavidade do miolo deixa exprimir a frescura do queijo. Pode atenuar o sabor mais intenso no caso de uma maturação prolongada.

Outro acordo possível: pão gourmand com frutos.